PACS lança livro com histórias de vida de mulheres marcadas por violações na cidade olímpica

Lançamento do livro Atingidas: história de vida de mulheres na cidade olímpica acontece na semana que antecede os jogos.

Durante a Jornada de lutas Rio 2016 Jogos da exclusão, em 3 de agosto, ocorreu o lançamento dos livros Atingidas: história de vida de mulheres na cidade olímpica (Pacs com apoio de DKA) e Cidade em jogo (Fundação Rosa Luxemburgo).


As publicações foram lançadas durante a roda de conversa Olhares e narrativas da vida na cidade olímpica com a presença de fotógrafos, autores/as e entrevistados/as. Os dois livros trazem fotografias e perfis jornalísticos com histórias marcadas pelas violações de direito no contexto das Olimpíadas.

Confira mais informações sobre as publicações abaixo.

Atingidas: história de vida de mulheres na cidade olímpica
Leia online: Versão online ISSUU
Baixe o pdf: Atingidas-capa / Atingidas-miolo

 

Questionada sobre o porquê de encontrarmos sempre mulheres à frente da luta contra as violações de direitos, Maria da Penha, símbolo da resistência contra as remoções na Vila Autódromo, respondeu: “Uma vez minha filha falou que a mulher é a árvore da casa. Ela sustenta todos os galhos. E é verdade. E, na luta da comunidade, também você vê que tem mais mulheres à frente. Porque aquela é sua casa, é sua história, é sua vida”.


As mulheres estão e sempre estiveram na linha de frente da luta por paz e justiça em todos os territórios do sul global onde direitos e vidas estão em perigo. Nesta publicação bilíngue (Português / Inglês), produzida pelo Instituto Pacs com o apoio da DKA, estão reunidas as histórias de mulheres à frente das resistências populares no Rio Olímpico com textos e fotografias de cada uma delas. A publicação também reúne artigos analíticos de mulheres que vêm acompanhando de perto os processos de exclusão, construindo a resistência e incidindo sobre espaços de participação.


Os temas das histórias passam por remoções, restrição ao direito ao trabalho e ao esporte. O critério de escolha das entrevistadas seguiu o “calor” do momento na cobertura ao longo de 2015 e 2016. Os impactos das remoções são o tema central das conversas com Maria da Penha, Mariza do Amor Divino e Suely Campos. A repressão ao trabalho dos ambulantes nas ruas é o mote do perfil de Maria de Lourdes. Edneida Freire fala do impacto do fechamento do Célio de Barros, Mônica Lima resgata a repressão à Aldeia Maracanã, Rita Barbosa conta das obras olímpicas os impactos na agricultura urbana, e Indiana Siqueira expõe as marcas da repressão na Cidade Olímpica para as mulheres trans.

Comments are closed.
Leia a próxima história

PACS publica cartilha em parceria com o Núcleo Piratininga de Comunicação denunciando o golpe em curso no Brasil